terça-feira, novembro 18, 2008

Serei teu rei, teu pão, tua coisa, tua rocha. Porque amar você é coisa de minutos, no belo e apaixonado poema de amor de Paulo Leminski.


Amar você é coisa de minutos


Amar você é coisa de minutos
A morte é menos que teu beijo
Tão bom ser teu que sou
Eu a teus pés derramado
Pouco resta do que fui
De ti depende ser bom ou ruim
Serei o que achares conveniente
Serei para ti mais que um cão
Uma sombra que te aquece
Um deus que não esquece
Um servo que não diz não
Morto teu pai serei teu irmão
Direi os versos que quiseres
Esquecerei todas as mulheres
Serei tanto e tudo e todos
Vais ter nojo de eu ser isso
E estarei a teu serviço
Enquanto durar meu corpo
Enquanto me correr nas veias
O rio vermelho que se inflama
Ao ver teu rosto feito tocha
Serei teu rei teu pão tua coisa tua rocha
Sim, eu estarei aqui

Paulo Leminski
(1944-1989)

Mais sobre Paulo Leminski em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Paulo_Leminski

5 comentários:

Liana disse...

Lindo!

Bruno disse...

Ótimo esse, fantástico. Gostaria de dizer que nem sempre comento no blog, mas sempre estou visitando para receber esses "comprimidos" diários de poesia e humanidade.

Obrigado.

Bruno disse...

Ótimo esse, fantástico. Gostaria de dizer que nem sempre comento no blog, mas sempre estou visitando para receber esses "comprimidos" diários de poesia e humanidade.

Obrigado.

Selma DEl Bosco disse...

Leminski, nunca dantes assim tão derramado ! MARAVILHOSO !

Juliana disse...

"A morte é menos que teu beijo"
Grande Leminski!