segunda-feira, novembro 17, 2008

Como dois e dois são quatro, Ferreira Gullar sabe que a vida vale a pena. Mesmo que o pão seja caro e a liberdade, pequena.


Dois e dois: quatro


Como dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
embora o pão seja caro
e a liberdade pequena.

Como teus olhos são claros
e a tua pele, morena

como é azul o oceano
e a lagoa, serena

como um tempo de alegria
por trás do terror me acena

e a noite carrega o dia
no seu colo de açucena

- sei que dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena

mesmo que o pão seja caro
e a liberdade, pequena.

Ferreira Gullar

Mais sobre Ferreira Gullar em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ferreira_Gullar

4 comentários:

Vivian disse...

Lindo mesmo! Ainda que o pão seja caro e a liberdade, pequena.

Anônimo disse...

Lindo esse poema....
A vida realmente vale a pena!!!

LGiordano83 disse...

Pensei que este poema fosse do Fernando Pessoa....

Anônimo disse...

LGiordano, se você procurar Fernando Pessoa nos marcadores do blog, vai encontrar o poema que lhe deixou essa dúvida.
Abs, O Editor