sexta-feira, novembro 07, 2008

Enquanto as mãos brasileiras fazem fandango no Chopin, Pedro Nava fica todo bestificado olhando a lua. O amor do poeta, oculto por um Noturno.


Noturno de Chopin

Eu fico todo bestificado olhando a lua
enquanto as mãos brasileiras de você
fazem fandango no Chopin

Tem uma voz gritando lá na rua:
Amendoim torrado
tá cabano tá no fim...
Coitado do Chopin! Tá acabando tá no fim...

Amor: a lua tá doce lá fora
o vento tá doce bulindo nas bananeiras
tá doce esse aroma das noites mineiras:
cheiro de gigilim manga-rosa jasmim.

Os olhos de você, amor...

O Chopin derretido tá maxixe
meloso
gostoso
(os olhos de você, amor...)
correndo que nem caldo
na calma da noite belo horizonte.

Pedro Nava
(1903-1984)

Mais sobre Pedro Nava em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pedro_Nava

Um comentário:

The last but not the least disse...

Eu não conhecia Pedro Nava, valeu.
abraço