domingo, maio 25, 2008

Cessa o teu canto, quero o silêncio para dormir, sem qualquer memória da voz ouvida. Não cantes mais, pede Fernando Pessoa em seus versos de paixão.


Cessa o teu canto


Cessa o teu canto!
Cessa, que, enquanto
O ouvi, ouvia
Uma outra voz
Como que vindo
Nos interstícios
Do brando encanto
Com que o teu canto
Vinha até nós.

Ouvi-te e ouvi-a
No mesmo tempo
E diferentes
Juntas cantar.
E a melodia
Que não havia,
Se agora a lembro,
Faz-me chorar.

Foi tua voz
Encantamento
Que, sem querer,
Nesse momento,
Vago acordou
Um ser qualquer
Alheio a nós
Que nos falou?

Não sei. Não cantes!
Deixa-me ouvir
Qual o silêncio
Que há a seguir
A tu cantares!

Ah, nada, nada!
Só os pesares
De ter ouvido
De ter querido
Ouvir para além
Do que é o sentido
Que uma voz tem.

Que anjo, ao ergueres
A tua voz,
Sem o saberes
Veio baixar
Sobre esta terra
Onde a alma erra
E com as asas
Soprou as brasas
De ignoto lar?

Não cantes mais!
Quero o silêncio
Para dormir
Qualquer memória
Da voz ouvida,
Desentendida,
Que foi perdida
Por eu a ouvir...

Fernando Pessoa
(1888-1935)

Mais sobre Fernando Pessoa em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fernando_Pessoa

3 comentários:

Alice disse...

José Antônio,
Hoje resolvi deixar um olá e reafirmar que seu blog é meu destino diário na internet !
Obrigada e parabéns ...
Muitas felicidades pra vc !
Alice

Jac. disse...

Huummm! Lindo!!!
Fernando Pessoa...não há igual!
Como é bom ter a poesia nossa de cada dia! É quase uma religião, agora!
Obrigada por esses momentos...

Anônimo disse...

José Antônio,
Parabéns pelo Poemblog, é realmente sensacional.Uma das melhores coisas da internet.
Renata