sexta-feira, agosto 15, 2008

E esta minha ternura, meu Deus, oh! toda esta minha ternura inútil, desaproveitada! Em seu lamento, Mario Quintana canta a dor dos romances perdidos.


Canção dos romances perdidos


Oh! o silêncio das salas de espera
Onde esses pobres guarda-chuvas lentamente escorrem...
O silêncio das salas de espera
E aquela última estrela...

Aquela última estrela
Que bale, bale, bale,
Perdida na enchente da luz...

Aquela última estrela
E, na parede, esses quadrados lívidos,
De onde fugiram os retratos...

De onde fugiram todos os retratos...

E esta minha ternura,
Meu Deus,
Oh! toda esta minha ternura inútil, desaproveitada!...


Mario Quintana
(1906-1994)

Mais sobre Mario Quintana em
http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rio_Quintana

2 comentários:

Anônimo disse...

Lindo!

Ana Paula disse...

..Mais do que lamentar os romances perdidos é lamentar o que fazer com
"E esta minha ternura,
Meu Deus,
Oh! toda esta minha ternura inútil, desaproveitada!..."
Lindo!
Dura verdade que temos que conviver!
Oh difícil ofício do amor, de se dar o que tem de melhor no amor!
"desaproveitada!..."