sexta-feira, outubro 09, 2009

Do mote popular à glosa, Mário Sá-Carneiro brinca com as palavras mas não com o sentimento. Para o poeta, o amor não é um bem, quem ama sempre padece


O amor

Mote

Amor é chama que mata
Sorriso que desfalece,
Madeixa que se desata,
Perfume que se esvaece.

(Popular)

Glosas

Amor é chama que mata,
Dizem todos com razão,
É mal do coração
E com ele se endoudece.
O amor é um sorriso
Sorriso que desfalece.

Madeixa que se desata
Denominam-no também.
O amor não é um bem:
Quem ama sempre padece.
O amor é um perfume
Perfume que esvaece.


Mário de Sá-Carneiro
(1890-1916)

Mais sobre Mário de Sá-Carneiro em
http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%A1rio_de_S%C3%A1-Carneiro

Um comentário:

Caroll disse...

Concordo!!!!!!!