quarta-feira, junho 25, 2008

Quando a poesia foi posta em oposição à utopia, a culpa não foi dos versos de Murilo Mendes. Foi do poeta, apenas um homem.


O utopista


Ele acredita que o chão é duro
Que todos os homens estão presos
Que há limites para a poesia
Que não há sorrisos nas crianças
Nem amor nas mulheres
Que só de pão vive o homem
Que não há um outro mundo.

Murilo Mendes
(1901-1975)

Mais sobre Murilo Mendes em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Murilo_Mendes

2 comentários:

Jac. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jac. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.