sábado, junho 28, 2008

O beijo de Olavo Bilac, o Príncipe dos Poetas, tinha que ser assim. O melhor da sua vida ou talvez o pior, glória e tormento.


Um beijo

Foste o beijo melhor da minha vida,
ou talvez o pior...Glória e tormento,
contigo à luz subi do firmamento,
contigo fui pela infernal descida!

Morreste, e o meu desejo não te olvida:
queimas-me o sangue, enches-me o pensamento,
e do teu gosto amargo me alimento,
e rolo-te na boca malferida.

Beijo extremo, meu prêmio e meu castigo,
batismo e extrema-unção, naquele instante
por que, feliz, eu não morri contigo?

Sinto-me o ardor, e o crepitar te escuto,
beijo divino! e anseio delirante,
na perpétua saudade de um minuto....

Olavo Bilac

(1865-1918)

Mais sobre Olavo Bilac em

http://pt.wikipedia.org/wiki/Olavo Bilac



Um comentário:

Jac. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.