sexta-feira, fevereiro 20, 2009

Beijei teu lábio de veneno e insídias e o beijo trouxe-me desespero e amarguras. E nunca mais hei de beijar teu lábio, diz Augusto dos Anjos.


Beijo maldito


Da Fantasia nos itinerários
Beijei teu lábio de veneno e insídias...
- Rosa de outono aberta em dois nectários,
- Mirra enganosa dos turibulários,
- Vaso de Sévres recendendo a orquídeas.

Beijei teu lábio de veneno e agruras
E o beijo trouxe-me o fatal ressábio
Dos desesperos e das amarguras...
E vou rolando para as sepulturas
E nunca mais hei de beijar teu lábio!

Augusto dos Anjos
(1884-1914)

Mais sobre Augusto dos Anjos em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Augusto_dos_Anjos

Um comentário:

Tássio Cardoso disse...

agudas palavras!fantástico..