quarta-feira, março 05, 2008

"A praça é do povo, como o céu é do condor". Quando será que os versos de Castro Alves se tornarão uma realidade para a nossa gente sofrida?



A Praça

"A praça é do povo!
como o céu é do condor".

É o antro onde a liberdade
cria águias em seu calor.
Senhor,pois quereis a praça?
Desgraçada a população!
Só tem a ruA de seu...
Ninguém vós rouba os castelos,
Tende palácios tão belos...
Deixai a terra ao Anteu.
Mas embalde...que o direito
Não é pasto de punhal
Nem a patas de cavalo
Se faz um crime legal...
Ah! não há muitos setembros!
Da plebe doem-se os membros
No chicote do poder,
E o momento é malfadado
Quando o povo ensanguentado
Diz: já não posso sofrer.

Castro Alves
(1847-1871)

Mais sobre Castro Alves em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Castro_Alves

Um comentário:

.:Bunchaft Bros:. disse...

Adoro este poema, abs!