quarta-feira, dezembro 16, 2009

Os olhos de António Botto que por alguém deram lágrimas sem fim, já não choram por ninguém. Agora, diz ele, basta que eu chore por mim


Meus olhos que por alguém


Meus olhos que por alguém
deram lágrimas sem fim
já não choram por ninguém
- basta que chorem por mim.
Arrependidos e olhando
a vida como ela é,
meus olhos vão conquistando
mais fadiga e menos fé.
Sempre cheios de amargura!
Mas se as coisas são assim,
chorar alguém - que loucura!
- Basta que eu chore por mim.

António Botto
(1897-1959)

Mais sobre António Botto em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B3nio_Botto

Um comentário:

gigi disse...

belíssimo!!tambem la esta no meu blog :)
e cantado pela dona Argentina Santos puxa!!!!
Gosto do seu blog
vou seguir :)
Gisela