sábado, novembro 21, 2009

Toda a noite o rouxinol chorou. E Florbela Espanca também, pensando que era a alma dela que chorava perdida em seu canto.


Alma perdida


Toda esta noite o rouxinol chorou,
Gemeu, rezou, gritou perdidamente!
Alma de rouxinol, alma da gente,
Tu és, talvez, alguém que se finou!

Tu és, talvez, um sonho que passou,
Que se fundiu na Dor, suavemente...
Talvez sejas a alma, alma doente
D'alguém que quis amar e nunca amou!

Toda a noite choraste...e eu chorei
Talvez porque, ao ouvir-te, advinhei
Que ninguém é mais triste do que nós!

Contaste tanta coisa à noite calma,
Que eu pensei que tu eras a minh'alma
Que chorasse perdida em tua voz!...

Florbela Espanca
(1894-1930)

Mais sobre Florbela Espanca em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Florbela_Espanca

Um comentário:

Alex disse...

Eu cresci ouvindo Florbela Espanca, ela só ñ é+ martavilhosa, porque ha muito se foi, mais seu legado é e será eterno.
onde vc. estiver sou sua fã.
Lêda