segunda-feira, janeiro 28, 2008

A solidão é um campo muito vasto que não se deve atravessar a sós. Por isso, deixa-me amar-te com ternura, pede Lya Luft ao seu amor


Deixa-me amar-te

Deixa-me amar-te com ternura, tanto
que nossas solidões se unam
e cada um falando em sua margem
possa escutar o próprio canto.

Deixa-me amar-te com loucura, ambos
cavalgando mares impossíveis
em frágeis barcos e insuficientes velas
pois disso se fará a nossa voz.

Deixa-me amar-te sem receio, pois
a solidão é um campo muito vasto
que não se deve atravessar a sós.

Lya Luft

Mais sobre Lya Luft em

http://pt.wikipedia.org/wiki/Lya_Luft

Um comentário:

margarida disse...

A maior solidão é uma solidão a dois: com o tempo, seres incompletos que somos eternamente, estragamos essa alegria boa do amor, essa companhia às vezes alimentada pelas lembranças. O amor é um exercício de paciência, entendimento, perdão, bondade... e loucura.