quarta-feira, junho 01, 2011

O espelho enche-se com a tua imagem, mas sem ti o espelho fica vazio. E nele tenho que olhar o rosto que procuro, diz Nuno Júdice à mulher de sua vida.



Olhando –se

O espelho enche-se com a tua
imagem; e queria tirá-lo da tua
mão, e levá-lo comigo, para
que o teu rosto me acompanhe
onde quer que eu vá.

Mas sem ti, o espelho
fica vazio; e ao olhá-lo, vejo
apenas o lugar onde estiveste, e
os olhos que os meus olhos procuram
quando não sei onde estás.

Por que não fechas os olhos
para que o espelho te prenda, e
outros olhos te possam guardar,
para sempre, sem que tenham de olhar,
no espelho, o rosto que eu procuro?

Nuno Júdice
(1949)

Mais sobre Nuno Júdice em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nuno_J%C3%BAdice

Um comentário:

VerMent* disse...

Não conhecia. Achei muito bom! Obrigada!