sexta-feira, junho 29, 2012

Para Affonso Romano, Picasso erra quando pinta e erra quando ama. Ele erra, mas nele, o erro mais que erro, é errância.


Errando no Museu Picasso

Picasso
erra
quando pinta
e erra
quando ama.

Mas quando erra
erra
violenta e
generosamente,
erra
com exuberante
arrogância,
erra
como o touro erra
seu papel de vítima,
sangrando
quem, por muito amar, fere
e sai ovacionado
com banderilhas na carne.

Pintor do excesso
e exuberância,
Picasso
é extravagância.
Ele erra,
mas nele,
o erro
mais que erro
- é errância.

Affonso Romano de Sant'Anna
(1937)

Mais sobre Affonso Romano de Sant'Anna em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Affonso_Romano_de_Sant'Anna



Um comentário:

☼Johanne Sollis ♫ ☼ disse...

A poesia é ótima, mas queria dizer que: - Eu lí a Biografia de Picasso. Ele pode ter errado, mas ele fez do jeito dele e viveu tudo que desejava, foi um homem poderoso ao seu tempo e confiava no seu Picasso tanto que teve 11 esposas. Foi um genio pintor e criativo.