segunda-feira, julho 01, 2013

Para Affonso Romano, não basta um grande amor para fazer poemas. Uma coisa é a letra, e outra o ato, quem toma uma por outra confunde e mente.


Arte-final

Não basta um grande amor
para fazer poemas.
E o amor dos artistas, não se enganem,
não é mais belo
que o amor da gente.
O grande amante é aquele que silente
se aplica a escrever com o corpo
o que seu corpo deseja e sente.
Uma coisa é a letra,
e outra o ato,
quem toma uma por outra
confunde e mente.

Affonso Romano de Sant'Anna
(1937)

Mais sobre Affonso Romano de Sant'Anna em
http://pt.wikipedia.org/wiki/Affonso_Romano_de_Sant%27Anna

2 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

Cecília Alves Feitoza disse...

Gostei bastante! E não é que o poeta tem razão?
Hoje escrevo contos e romances, porém comecei escrevendo poesia e minha poesia era sobretudo arrebatamento e nem sempre isso correspondia a algo bom.
Hoje minha emoção é mais canalizada em minha escrita, e para mim: vida a prosa!Embora eu ame e admire a poesia assim como gostei dessa.